Nami-juji-jime

Generalidades – Nami quer dizer cruz, em japonês. Neste estrangulamento, as mãos vão cruzadas agarrar as golas do oponente, daí seu nome. Tori deve colocar os pulsos um em cima do outro, com as palmas viradas para baixo, e imaginar como se um eixo ou um parafuso atravessasse os seus dois pulsos. Estes deverão girar em sentidos contrários em torno desse eixo imaginário. É um típico estrangulamento respiretório.

Descrição – Com a mão esquerda (palma para baixo), Tori agarra a gola esquerda de Uke. O polegar deve estar para dentro e os dedos para fora dela. Faz a mesma coisa com a mão direita, passando-a por baixo da esquerda e indo agarrar a gola direita. As pegadas devem ser bem para trás, bem fundo nas golas de Uke. Tori puxa as mãos em sentidos contrários, lançando os cotovelos à frente. Se estiver sobre Uke, Tori deve procurar encostar os cotovelos no solo. O erro mais freqüente é Tori não prestar atenção a este detalhe, não conseguindo  finalizar por deixar  os ombros de Uke bloquearem a descida dos cotovelos em direção ao solo.

Segredo – Tori não precisa encaixar os dois polegares e agir como prescreve a tradição. Ele pode encaixar bem uma das mãos, bem atrás. Uke pode até defender-se colocando a mão sobre a orelha ou da maneira que quiser. Tori, com a outra mão, irá agarrar bastante pano do kimono de Uke à altura do ombro. Tori desce com tudo sobre o pescoço, apertando forte. Este estrangulamento é terrível. Se houver dedos bloqueando, ele quebra os dedos; se houver pulso, ele amassa o pulso. Depois de encaixado, não dá para defender.

APRENDA: Nami-juji-jime

Advertência:

A sessão aprenda é aqui apresentada apenas como um meio de facilitar a memorização e o aprendizado do Jiu-jitsu. As técnicas e procedimentos nela contida e descrita são essencialmente letais. O leitor, seu companheiro ou adversário podem ferir-se de modo sério ou fatal se utilizarem qualquer uma delas em treinamento sem acompanhamento de um mestre, professor ou instrutor capacitado. Nesse caso, a Equipe da Academia Arataba de Jiu-Jitsu não se responsabiliza por qualquer evento daí decorrente.

O uso de uma ou mais técnicas contidas nesta sessão é considerado ilegal por leis municipais, estaduais ou federais de diversos países. A Equipe da Academia Arataba de Jiu-Jitsu não faz representação alguma para justificar o uso de qualquer técnica contida nesta sessão ou de sua eficácia em quaisquer circunstâncias.

2017-02-05T10:41:19+00:00

One Comment

  1. Roberto sexta-feira, 23 de dezembro de 2016 at 21:58 - Reply

    Acho muito bacana essa preocupação em demonstrar golpes que muitos faixas pretas NEM conhecem… E mais interessante foi mostrar o nome do golpe em japonês… Parabéns…

Leave A Comment